Os mais antigos fenômenos elétricos conhecidos



m dos mais antigos e dos mais impressionantes fenômenos de natureza elétrica que temos conhecimento são os raios atmosféricos que, desde a antiguidade, estão associados com o poder e a magia.

Os raios e trovões, em muitas culturas, estão ligados a ação dos deuses. Lembre-se de thor, o deus dos trovões e das batalhas, da mitologia nórdica; de Zeus, o deus dos céus, dos raios e relâmpagos, da antiga religião grega.

O entendimento dos raios como uma manifestação da força elétrica foi estabelecido somente no século XVIII por Benjamin Franklin, cientista e político norte-americano.

Hoje, entendemos que os raios são descargas elétricas muito fortes, resultado do acúmulo de cargas elétricas em certas regiões das nuvens e da tendência da natureza de equilibrar essas cargas.

O atrito entre os pequenos pedaços de gelo existentes nas nuvens acaba por criar regiões de acúmulo de cargas elétricas opostas, chamados centros de cargas. Eles podem estar dentro de uma mesma nuvem, entre uma nuvem e o solo, entre uma nuvem e outra ou entre uma nuvem e o céu ao redor.

Esse acúmulo de cargas elétricas opostas provoca uma força de atração muito forte entre eles. O que acaba por romper a capacidade de isolamento do ar, dando origem ao raio.

O processo de formação dos raios ainda não é bem conhecido. O que se sabe é que, de início, libertam-se da nuvem várias descargas menores, chamadas "os precursores da descarga". Repare na animação mostrada ao lado.

Esses precursores percorrem o ar numa trajetória em zig-zag até o centro de carga oposto. Na animação, vista ao lado, esses centros estão na nuvem e na superfície da terra. Eles abrem caminho para a descarga de elétrons que formará o raio.

Quando os precursores atingem o solo, inicia-se uma descarga elétrica intensa que percorre o caminho aberto por eles no sentido inverso, da terra para a nuvem. Observe a animação.

Os raios formam correntes elétricas de centenas de milhares de ampéres e a temperatura atinge milhares de graus Celsius. Tudo isso liberado em menos de um milisegundo.

Veja a seguir uma compilação interessante de relâmpagos ocorridos em tempestades nos Estados Unidos. O vídeo foi produzido por Pecos Hank, um repórter cinematográfico americano.


Nos raios, a grande quantidade de energia elétrica disponível é liberada num curto intervalo de tempo. Isto tem dificultado a criação de uma tecnologia adequada que possibilite o seu aproveitamento nos nossos sistema de eneriga elétrica.

Infelizmente, até o momento, não temos capacidade técnica para usar essa fonte de energia em nosso proveito.











A produção do vídeo é de Pecos Hank. Este e muitos outros vídeos sobre fenômenos atmosféricos podem ser encontrados no canal Pecos Hank do YouYube.

A foto e informações contidas na página podem ser encontradas no site Tempo João Pessoa. Um site sobre fenômenos atmosféricos. A autoria da animação apresentada nesta página é de Diego Rhamom.





  Voltar para página anterior