Domingo, 30 de julho de 2017

Mama África: os caminhos dos homens sobre a face da Terra

As mais recentes teorias sobre a história do homem moderno aponta as savanas da parte sul da África como o local de nascimento de nossa espécie. As estimativas mais aceitas indicam que isto ocorreu a aproximadamente 200.000 anos.

Por volta de 100.000 anos atrás, levas sucessivas de humanos emigraram da África para a Europa, para a Ásia e daí, atravesando o Mar do Timor, para o Continente Australiano, e, usando o Estreito de Bering, para o Continente Americano.

Durante todo esse longo período de tempo, as tribos humanas sobreviveram da caça e da coleta de frutos e raízes. No entanto, esse estilo de vida nômade não favorece o crescimento populacional.

Enquanto isto ocorreu, a população humana permaneceu abaixo de um ou dois milhões de pessoas. Somente com a invenção da agricultura, a aproximadamente 10.000 anos, e o estilo de vida sedentária daí decorrente, a população começou a crescer de maneira consistente.

No entanto, foi somente na Idade Moderna que a população mundial iniciou o crescimento explosivo registrado atualmente. Veja o gráfico acima.

O Museu Americano de História Natural (Americam Museum of Natural History), da cidade de Nova York, compilou os dados mais recentes sobre a progressiva ocupação dos continentes pelos seres humanos, desde o seu berço, a África, até os confins da América do Sul. Esses dados e os dados referentes ao crescimento da população mundial são exibidos no vídeo Human Population Through Time que mostramos logo a seguir.

Repare, na primeira parte do vídeo, que a ocupação do nosso continente, a América, é a mais recente e ocorre pelo povoamento da costa oeste da América do Norte, a partir do Alasca. Na Ámerica do Sul, a ocupação se dá a partir da Cordilheira dos Andes e, ao longo do tempo, atinge as planícies e planaltos do Brasil.

A segunda parte do vídeo mostra o crescimento da população mundial a partir do nascimento de Cristo, no primeiro ano de nossa era. Cada ponto amarelo marcado no vídeo representa um conjunto de um milhão de pessoas.


Nessa época a população se concentra numa imensa faixa de terra que engloba o entorno do mar Mediterrâneo, o Oriente Médio, a Índia e a China. Dois grandes impérios dominam o mundo: O Império Romano, no ocidente; o Império Chinês, sob a dinastia Han, no oriente.

Observe a posição central dos povos que ocupam a Península Arábica e a Ásia Central. Eles fazem a ponte entre o Ocidente e o Oriente (China e a Índia) por dois caminhos.

A primeira rota de comércio é por terra, com as caravanas partindo da China pelo caminho que contorna a cadeia dos Himalaias pelo norte e atinge os portos do Mar Mediterrâneo da costa que hoje pertence à Turquia. Essa via de intercâmbio foi chamada Rota da Seda (Silk road).

A segunda é por mar, com as atividades sendo realizadas pelos navegadores árabes do Mar Arábico, que transportavam em seus navios as especiarias das Índias até os portos do Oriente Médio e Egito.

Essas atividades comerciais entre os dois lados do mundo, além de promover o intercâmbio de mercadorias, acabam por criar um intenso intercâmbio cultural. Foi por essas duas rotas que os povos do ocidente tomaram conhecimento das conquistas culturais e científicas da China e da Índia.

O prezado leitor certamente irá notar o desaparecimento do Império Romano, a curta existência do Império Mongol e o mergulho da Europa na Idade Média. Repare ainda na devastação causada pela Peste Bulbônica (Peste Negra) na população européia e no incremento populacional causado pelo tráfico de escravos da África para as Ámericas.

A partir da revolução industrial européia, no século XIX, ocorre a explosão populacional. Em apenas 200 anos a população mundial cresce de 1 para 10 bilhões de pessoas.




Imagino que dois aspectos desse tema são de especial interesse para nossos alunos. O primeiro é o de mostrar que ao mesmo tempo em que a Europa passava pelo período que chamamos de Idade Média, o mundo continuava seu desenvolvimento nas Artes e nas Ciências através das grandes civilizações do oriente.

No nosso ensino de ciências, dá-se uma ênfase excessiva ao desenvolvimento ocorrido na Europa. Os estudantes ficam com o sentimento de que toda a ciência moderna começa no renascimento europeu. Não se dá a devida atenção às grandes contribuições dos povos do Oriente trazidas para a Europa pelos árabes.

O segundo aspecto a ser notado é o de que nosso continente é um participante recente desse intercâmbio global. Somos o caçula da família. Nossa população é mestiça, resultante das contribuições da Europa, África e Ásia. Nossas instituições são novas e nossa cultura está em formação.

Isto deve ser levado em conta quanto pensamos sobre as nossas qualidades e julgamos as nossas deficiências.








O site do Americam Museum of Natural History pode ser acessado clicando aqui. A seção para educadores, onde se encontra muito material para os professores, pode ser acessada pelo link.



As informações contidas nesta postagem forma obtidas via OPEN CULTURE, the best free cultural & educational media on the web. O post sobre o crescimento da população mundial pode ser acessado aqui.



Arquivo das postagens


Postagens de 2015


Postagens de 2016


28 de janeiro - O processo de...


25 de fevereiro - O bóson de...


25 de março - Cristovão Colombo e...


30 de abril - Uma demostração...


27 de maio - O Terminador, a linha...


30 de junho - O experimento de...


3 de setembro - Padre Lemaître, o...


30 de setembro - As contribuições...


10 de novembro - Os conselhos de...


24 de dezembro - O planeta Vulcano...


Postagens de 2018