Domingo, 27 de novembro de 2016.

Revelando as linhas de força do Campo Magnético.

Pelo que sabemos existem quatro tipos de interações entre as partículas que compõem a matéria: a interação gravitacional, a eletromagnética e as interações nucleares, fraca e forte. Essas interações se expressam como forças agindo entre as partículas.

As forças são classificadas em forças de contato e forças de ação a distância. A força de contato entre dois corpos materiais age quando existe contato físico entre eles. Entre as forças desse tipo estão a força de atrito e a força Normal.

Já uma força de ação a distância não necessita do contato físico entre os corpos para fazer sentir sua influência. Ela age mesmo que exista uma grande distância entre os corpos e, para ser transmitida, não necessita de um agente material. Além disto, a transmissão da força a distância, de um corpo para outro, se dá de maneira instantânea.

O físico inglês Issac Newton, na sua Teoria da Gravitação, imterpreta a ação mútua entre os planetas e o sol como uma força de ação a distância. Outro físico inglês, Willian Gilbert, entendia a ação entre dois imãs colocados próximos um do outro do mesmo modo. Essa interpretação nunca foi plenamente aceita entre os físicos.

Ainda na Inglaterra, no século XVIII, Michael Faraday propôs uma outra interpretação desses fenômenos. Segundo ele a interação entre dois imãs se dava pela existência entre eles de um agente intermediário composto por linhas de força. Esse agente transmitia a força de um corpo ao outro. Assim, pare ele, um imã estendia até outro imã linhas de força. Elas, por sua vez, agiam sobre o segundo imã. Para Faraday essas linhas de força tinham existência material.

Hoje, as linhas de força foram substituídas pelo conceito de campo. Um imã, por exemplo, cria no espaço em volta de si uma "deformação" chamada campo magnético. Se existir nas proximidades um outro imã o campo agirá sobre ele exercendo uma força de atração ou repulsão. Não usamos mais as linhas de força, em seu lugar falamos de linhas de campo. Observe na imagem do topo desta página o esquema das linhas do campo magnético entre duas manchas solares.

No vídeo abaixo podemos ver a materialização dessas linhas de campo. Temos uma caixa repleta de limalhas de ferro em suspenção na glicerina. As limalhas de ferro são sensíveis ao campo magnético. Quando o imã é introduzido ele cria em sua volta um campo magnético. As limalhas de ferro são forçadas a se deslocar e a se alinhar com as linhas desse campo.



As duas regiões mais densamente povoadas pelas limalhas foram chamadas por Gilbert de "polos magnéticos. Acompanhando a disposição das limalhas podemos visualizar as linhas de campo.





O vídeo acima é uma produção do canal Física universitária, criado pelo professor Gil da Costa Marques do Instituto de Físca da USP. Você poderá encontra-lo na seção "Experimentos de Física". O colega professor poderá se beneficiar também dos diversos vídeos com aulas que cobrem a maioria dos topicos de Física a nível universitário existentes no canal.

Se o professor desejar mais informações sobre esse assunto recomendamos o artigo do professor André K. T. Assis, da UNICAMP. Para ler o artigo clique aqui.






Para informações adicionais acesse o canal Física universitária. Para mais informações sobre o professor Gil clique aqui. Recomendamos as seções "Práticas para o ensino de Física" e "Didática", clique aqui e aqui.





Arquivo das postagens


Postagens de 2015


10 de janeiro - A garrafa de...


03 de fevereiro - O funcionamen...


16 de março - As ondas gra...


10 de abril - O movimento...


08 de maio - Qual o verda...


05 de junho - O tamanho re...


20 de julho - Desenvolver o...


30 de agosto - Construção do...


12 de outubro - Ferramenta online...


29 de dezembro - Issac Newton: o últ...


Postagens de 2017


Postagens de 2018