Domingo, 24 de julho de 2016.

Desenvolver o Pensamento Crítico nas aulas de Física?

Pelo comportamento em sala de aula, os estudantes do ensino médio passam a impressão de que confundem Física com cálculo, de que Física é na verdade Matemática disfarçada.

A situação fica ainda pior quando eles rejeitam a abordagem dos conteúdos pelo lado histórico e filosófico. Neste caso, dão a impressão de que consideram que o professor está fugindo do assunto ou de que aquilo não é Física, pois ele não é solicitado a fazer conta.

A culpa por essa maneira pouco adequada de perceber a Física é, em sua maior parte, dos próprios professores. Não vamos entrar na polêmica entre "ensino conteudista" versus "ensino não conteudista". Trata-se aqui apenas de não confundir Ciência com Tecnologia e de mostrar a Física como ela é: uma parte importante da cultura humana.

O que hoje conhecemos como sendo a Física foi nomeada Filosofia Natural até muito recentemente. A Filosofia Natural é a parte da Filosofia que trata das primeiras causas dos fenômenos e dos princípios que regem o mundo material. Na época em que Newton viveu era esse o nome empregado como pode-se ver pela imagem abaixo.

Numa sociedade como a nossa onde a maioria dos estudantes viverá sua vida longe do mundo da ciência, esse parentesco com a Filosofia, se bem aproveitado em nossas aulas, dá a oportunidade de oferecer a eles um presente que será útil a todos, independente do caminho profissional que cada um deles seguirá no futuro: dar destaque à maneira toda especial de pensar que é usada nas ciências.

A abordagem dos "problemas de Física" exige do estudante uma maneira de pensar que ele não aplica no dia a dia. Essa nova maneira de pensar exige reflexão, lógica e muito bom-senso. O cálculo, neste contexto, é a parte menos importante.

Os filósofos chamam esse tipo de pensamento de Pensamento Crítico que nada mais é, afinal de contas, do que encarar os problemas de maneira criteriosa, pesando as evidências e fugindo dos próprios preconceitos.

Com a intenção de incentivar o leitor a seguir por esse caminho, mostramos seguir um vídeo, produzido pela educadora Samantha Agoos para a TED-Edu, que aborda o tema Pensamento Crítico por meio de cinco pequenas dicas.


O site Universia do brasil oferece uma lista com dez diretrizes interessantes para estimular nos alunos o pensamento crítico.

Dica 01: Questione.
O primeiro passo para incentivar o pensamento crítico de seus estudantes é tornar-se alguém questionador. Esse processo não acontece de uma hora para outra, então comece devagar, com perguntas encorajadoras. Nas primeiras fases você deve apenas mostrar os tipos de questão que podem surgir, mas com o tempo será preciso elevar o nível. Isso vai fazer com que seus alunos reflitam sobre os temas discutidos.

Dica 02: Desenvolva o tema.
Apresente uma questão polêmica para que seus alunos construam seus argumentos com base nela. Nesse estágio você deverá ajudá-los a desenvolver o tema, identificando termos ambíguos ou subjetivos e tornando-os claros e definidos. Esse tipo de questão agrega os alunos em torno de uma mesma ideia e promove a união.

Dica 03: Ofereça recursos.
Para que a discussão em sala de aula seja rica é fundamental que seus estudantes tenham conhecimento. Ofereça os recursos necessários para que eles estejam preparados para discutir determinado tema. Dê a eles textos em que se basear, indique livros e filmes que abordam o assunto e contextualize-os.

Dica 04: Alinhe expectativas.
Deixe que seus alunos saibam claramente o que você espera deles e pergunte o que eles querem de você. Alinhando as expectativas será mais fácil desenvolver o tema, uma vez que ninguém dá voltas no assunto e nem sugere discussões desnecessárias. Alinhe um fluxo para que os temas apresentados sejam debatidos, faça com que todos se preparem para isso.

Dica 05: Encoraje as controvérsias.
Desenvolver o pensamento crítico nos seus estudantes é incentivar as controvérsias. O objetivo dos temas polêmicos é fazer com que eles reflitam e formem suas próprias opiniões, de maneira que as divergências devem ser bem acolhidas na tarefa. Seus estudantes têm opiniões diferentes, encoraje-os a demonstrá-las.

Dica 06: Selecione os conteúdos.
Para que os alunos se sintam mais interessados, selecione conteúdos com algum significado para eles. Isso vai fazê-los se engajar na discussão. Você é professor, deve saber quais são as tendências entre os jovens. Seja observador e identifique os temas polêmicos entre eles.

Dica 07: Incentive os debates.
Ouvir as opiniões dos seus estudantes é um passo, mas por que não ir além e deixa-los debater em favor de suas próprias ideias? A argumentação é peça fundamental no que se refere ao pensamento crítico, de maneira que um estudante precisa saber reconhecer quando está se apoiando nas justificativas erradas. Promova debates em sala de aula.

Dica 08: Alterne os médodos.
Se você mantiver sempre a mesma fórmula suas aulas se tornarão entediantes rapidamente. Alterne os métodos de incentivo ao pensamento crítico. Ofereça textos e questionários subjetivos, promova debates, peça opiniões. Faça com que as aulas se tornem um momento de diversão e reflexão, só assim seus estudantes apresentarão mais interesse pelo exercício.

Dica 09: Deixe que os alunos se avaliem.
Ao invés de dizer como um aluno está se saindo, deixe que os outros façam isso. Peça que os estudantes se reúnam em grupos e avaliem o desempenho do seu grupo e dos demais. Isso vai fazer com que eles sejam criteriosos com eles próprios e com seus colegas. O exercício será muito positivo para o conhecimento pessoal.

Dica 10: Fique de fora.
Uma vez que você já ofereceu todos os recursos possíveis para que seus estudantes pensem de maneira crítica, afaste-se e deixe que eles tomem conta da situação. Seu papel será apenas mediar os debates e discussões. Interfira apenas quando a situação fugir do controle. Isso vai dar senso de responsabilidade aos seus alunos.

Tanto o vídeo como as dicas não foram pensados especificamente para uma aula de Física. No entanto, eles podem ser facilmente adaptados.

Não se preocupar apenas com a correta resolução dos problemas, mas ressaltar a maneira mais adequada para aborda-los, certamente ajudará a despertar o interesse do aluno. Além disso, ele perceberá que está adquirindo novas ferramentas mentais que poderá aplicar na sua vida fora da escola.

Para mais informações sobre o vídeo clique aqui.







A lista com as 10 dicas para o desenvolvimento do pensamento crítico pode ser encontrada aqui.





O vídeo 5 tips to improve your critical thinking foi escrito por Samantha Agoos e animado por Nick Hilditch para Ted - Lessons Worth sharing. Site sobre vídeos de palestras para educação.



Arquivo das postagens


Postagens de 2015


10 de janeiro - A garrafa de...


03 de fevereiro - O funcionamen...


16 de março - As ondas gra...


10 de abril - O movimento...


08 de maio - Qual o verda...


05 de junho - O tamanho re...


30 de agosto - Construção do...


12 de outubro - Ferramenta online...


27 de novembro - Revelando as...


29 de dezembro - Issac Newton: o últ...


Postagens de 2017


Postagens de 2018